quarta-feira, 19 de julho de 2017

MAL POSTO UM, JÁ COMEÇO OUTRO, MAS PARA TERMINAR...

14h04. Falei com o meu amigo baterista e ele disse que vai me informar se tiver saída hoje. Perguntei se ele achava pertinente a minha presença e sua resposta não podia ser mais carinhosa: “sempre”. Fiquei feliz com esta palavra/resposta, me senti querido. É bom se sentir querido, acho que é isso que faz as relações sociais serem imprescindíveis, se sentir querido, parte integrante de um grupo. Isso a solidão não me dá, tampouco as palavras. Não me sinto realmente parte dos grupos de escritores onde publico isso. Hoje deixei que o meu post permanecesse na minha página principal, hoje quis ser lido pelos meus amigos. Para que me conheçam melhor, para que saibam das minhas opiniões, para que saibam o que se passa comigo aqui dentro e ao meu redor. Achei que o post anterior foi bastante ilustrativo da minha situação atual e não há nada de constrangedor ou revelador demais que não possa ser lido por todos. Até minha mãe poderia ler, inclusive a parte da Singularidade e do Monstro do Pântano. Para já ficar sabendo que a crença permanece para além do meu estado de mania e que tenho o desejo de mais uma estátua, muito importante para mim, por sinal, afinal é o meu personagem favorito. Falando em grupos e em bonecos. Não me sinto fazendo parte do grupo de escritores, mas me sinto parte integrante e participativa dos grupos de bonecos, gosto de acompanhá-los e opinar a respeito do que me interessa, além de criar posts para eles, independentemente dos posts de divulgação do meu blog de bonecos. Por sinal, queria ter uma ideia para escrever um novo post de bonecos. Infelizmente estou zerado. Não tenho nada com substância suficiente que possa transformar em post. O que tinha de melhor eu já postei como uma pergunta em um dos grupos. Que gerou um debate bem legal. Fiquei surpreso com as opiniões, não foram baseadas só em fanatismo por uma empresa ou outra, mas por argumentos bem fundamentados.

15h07. Não estou com cabeça nem para escrever aqui. Estou só na expectativa da SDCC, a principal feira de bonecos dos EUA (e de quadrinhos e de filmes sobre quadrinhos e séries de TV) que vai acontecer de 20 a 23 de julho, ou seja, a partir de quinta-feira. Acho que vou escrever algo para o blog de bonecos.

21h05. Fiz um post para o blog de bonecos que aparentemente vai ser o meu maior fiasco até agora. Não sei se o grupo do qual eu fui banido era o que realmente me gerava visualizações ou se perdi a mão em relação ao que escrever sobre estátuas. Talvez o verbo que eu usei no título seja inadequado, maldito Google Translate! Hahahahahaha. Não posso culpar ninguém se eu não sei inglês. Mal sei português. Hahahahaha! Não pude ir ao encontro da turma da segunda pois mamãe esqueceu de deixar dinheiro para eu sair. Segundo, eu não sabia o endereço do Tepan. Talvez se digitasse Tepan no Uber, ele já estivesse referenciado, mas não tinha jeito de ir liso. Não vi quando mamãe saiu. Agora é tarde. Disse ao meu amigo baterista que fica para a próxima.

-x-x-x-x-

16h13. Capotei ontem, deixei tudo ligado e dormi. Tenho tido esses momentos de esgotamento recentemente. Esse é o segundo episódio já. Dormi na cadeira um dia desses. Por mais de uma hora, creio. Que pena, meu post do Profeta só teve 41 hits. Não estou desmerecendo, é um bom índice, mas não se compara aos 66 do anterior ou aos estupendos 86 do penúltimo post. Sinceramente não sei o que fiz para ganhar tantas visualizações naquele post. Mas escrevo primeiro para mim, deveria parar de me focar tanto nas visualizações. É que cada nova visualização é alguém que alcanço, com quem compartilho minha alma e, por alguma razão, fazer essa conexão com o maior número de pessoas possível me traz uma grande satisfação. Pelo menos saí da zona dos 30 e passei para a faixa dos 40 leitores. É uma baita evolução. Mas não estou escrevendo muito aqui porque estou muito imerso no maravilhoso mundo dos bonecos. Hoje está bem mais movimentado que ontem. Acho que ontem foi mais parado por causa de Game of Thrones, eu acho. Nunca vi o seriado, mas dizem que é muito bom e que a produção é muito bem cuidada. Espero um dia assistir. Mentira, não tenho saco nenhum para seriados no momento. Prefiro ouvir U2 bem alto enquanto ninguém a não ser a fantástica faxineira está em casa, e navegar na internet e escrever do que fazer qualquer outra coisa. Ou assistir qualquer coisa. Li mais um trecho de “O Mundo de Sofia” enquanto a fantástica faxineira arrumava meu quarto e parei antes de entrar na Teoria Atomista. Acho que vai ser mais interessante que as antecessoras que eram visões ainda muito rudimentares e místicas da realidade. Essa acho, pelo título, que introduzirá a hipótese do átomo, o que é surpreendente para alguém daquela época tão distante e sem recursos científicos intuir. Mas é meio que baseada na teoria anterior, é interessante que o livro deixa claro o encadeamento de uma teoria na outra. Embora assim as novas teorias pareçam menos impressionantes, visto que têm uma base prévia, não surgiram do nada, por outro lado dá uma ideia da história da Filosofia. É bem interessante.

17h46. Mamãe chegou e me mandou pegar umas compras no carro. Encontrei rapidamente com meu primo urbano quando fui tomar o elevador. Falei do encontro frustrado com a galera ontem no Tepan e ele disse que não saía nas segundas devido à pelada. Estou muito imerso no maravilhoso mundo dos bonecos no momento para escrever aqui.

18h42. Estou bastante tentado a divulgar meu post de ontem novamente nos grupos, pois o achei tão relevante e expressivo do que sou e do que passo que acho que mereceria uma nova tentativa de alcançar novos leitores. Mas não vou fazer isso. Cada post tem sua vida, sua oportunidade de ganhar o mundo e acho que deve ser única. Essa regra só não vale para o blog de bonecos. Esse eu escracho, faço um update no conteúdo e publico novamente. Nesse eu tenho a gana de ganhar visualizações de qualquer jeito. Mas os posts do Profeta se encerram em si mesmos, são como fotografias de um momento no tempo e espaço de mim e do que faço. Não há novidades no que já passou. O passado é imutável para o bem ou para o mal. Então, vou deixar como está. Se alguém tiver interesse, é só ler o post anterior. Ele tem muito mais conteúdo do que esse tem até agora. Observei que há pelo menos uma leitora que curte os meus posts. Pelo menos curtiu dois. Obrigado, você sabe muito bem quem é. Não a nomearei porque acho inapropriado. Só gostaria de expressar minha gratidão. Acho que tenho muita energia para gastar, energia acumulada, me peguei dançando na cadeira “Discothèque” do U2. Hahahahaha. Coisa mais ridícula. Hahahahaha. É nessas horas que é bom estar sozinho num quarto fechado. Queria muito ter a chave do meu quarto, por sinal. Há séculos não sei o que é ter privacidade absoluta. Só quando não há ninguém em casa, o que é muito raro agora que mamãe está de licença (e está de licença desde que saí da internação, quando realmente não tinha privacidade nenhuma).

19h05. Devagarzinho o meu post do blog de bonecos vai sendo lido. 255 visualizações. Já não estou tão frustrado assim. E acho que porque estou comentando muito mais e postando muito mais coisas do que costumava fazer, vou ganhando uma relevância maior dentro da comunidade e com isso os posts do meu blog também. Acho que vou falar com o cara do grupo que me baniu se eu não posso voltar.

19h41. Postei uma foto que está gerando muitas curtidas num grupo específico, um dos mais ativos, embora não seja muito numeroso. Apenas seis mil usuários, mas de qualquer forma é uma boa plataforma para divulgação do meu blog de bonecos. Principalmente se eu for bem conceituado lá. Amanhã farei meu último post de preview da SDCC. Embora, aparentemente ela abra amanhã de acordo com um fabricante específico, enquanto todos os outros dizem que é a partir do dia 20. Espero que este fabricante esteja errado. De qualquer forma, vou começar a reescrever meu post agora.   

-x-x-x-x-

7h42. Não me dediquei muito a esse espaço. É a SDCC chegando. Os grupos de bonecos estão bastante animados. Acordei às quatro e pouca devido à provável proctalgia fulgax da qual sofro. É uma dor intensa na região do cóccix. Não estou com cabeça para escrever. Talvez quando voltar.

9h21. Estou no CAPS com cabeça na SDCC. Queria estar em casa acompanhando a movimentação no maravilhoso mundo dos bonecos. Estou com medo de ser coagido a participar do grupo de sonhos. Não tenho a mínima intenção ou disposição de fazer isso. Não sonho nada há dias ou semanas, embora por ter relatado parte do último sonho que tive aqui ainda tenho fresco na memória o que foi descrito. A asquerosa cena do beijo na não-boca, no orifício disforme que se me apresentou no final do sonho e que me fez despertar não sem antes meter minha boca naquilo e sentir seu interior quente e úmido. Ainda vou ter que contar no grupo AD que não fui ao encontro da segunda pois achei muito complicado e longe, embora nem saiba direito onde o Tepan fica, sei que é muito mais próximo que Boa Viagem. Mas me repito aqui. Quero mesmo é chegar em casa e mergulhar no maravilhoso mundo dos bonecos. Ver que fotos ou informações já vazaram na Internet. Sinto minha mente tão limitada. Só sabe e quer escrever sobre o que me surge e olhar e conversar sobre bonecos. E escrever sobre bonecos também. Fiz um post Frankenstein demais, revisei, reescrevi e acrescentei tantas coisas, tantas vezes que temo que a maioria tenha ficado sem sentido. Acrescente-se que fiz tudo isso sonolento e as últimas alterações de forma corrida, pois as novidades do site da Sideshow entraram bem na hora de vir para o CAPS, então enfiei-as de qualquer jeito no texto e tracei uns comentários meio sem nexo, botei no ar e voei para cá. Queria alcançar pelo menos 300 visualizações com este post, mas não ajudam o fato de tê-lo divulgado de madrugada e de que várias coisas vão começar a vazar da SDCC ao longo do dia, tornando meu post irrelevante. Bem, descobrirei quando chegar em casa lá para as três da tarde. Acho que os hits que tiver que alcançar são agora pela manhã. À tarde parece que vai haver uma pré-abertura e aí vão pipocar fatos e fotos, se essa pré-abertura realmente acontecer, mas tive duas indicações de que iria, não 100% certas, mas diria que mais de 50% certas. Então se começar a vazar a Comic Con essa tarde, dane-se o post, vou me deliciar com as novidades. E já ir montando o meu próximo post, um apanhado comentado de todas as imagens que conseguir ver e salvar. Vão ser muitas, por isso é melhor começar o quanto antes. Não tem jeito de falar de outra coisa, só dá SDCC na minha cabeça. Louco para ver a estátua do Swamp Thing. Em segundo lugar? A da Red Sonja. Em terceiro? Confesso que estou curioso com o que a Prime 1 vai trazer e o que não foi revelado, se algo, pela Sideshow. De resto não tem, do que já foi anunciado, nada que me interesse. Sim, o Proxxil do Court of the Dead. O Swamp Thing em distante primeiro lugar, a Red Sonja em segundo e num não tão distante terceiro, o Proxxil seriam as três últimas estátuas que compraria na vida. E me daria por satisfeito. Acho que vou vender, depois que meu irmão se mudar e se assentar bem direitinho, arrumar toda a casa, o meu Boba Fett. Vou seguir a lei da galera, me desfazer do que gosto menos para dar espaço para as que gosto mais. Tenho que pensar se há mais que eu queira vender. O Esqueleto certamente que não. Ou, não por ora. Queria vê-lo antes de vender. Estou com vontade de vender o Killer Croc também. E mais nenhum. Também, acho que da Sideshow só há lá, além das que mencionei, o Coisa do filme Quarteto Fantástico (que ninguém quer comprar) e a Capitã Marvel que eu não vendo de jeito nenhum. O Killer Croc só é válido vender quando a versão exclusiva se esgotar e tiver passado algum tempo. Em verdade não queria vender nenhum. Queria vender a ZTC Cat. Na verdade, nem ela. Queria ter todas as figuras aqui. Uma que queria vender era a de Mass Effect, comprei no impulso. E tem outra de PVC que comprei repetida que preciso vender. Tem algumas do meu quarto que preciso me desfazer também. Mas não consigo vender essas de maneira alguma. Vou acabar dando. Ou levando para os States para vender no eBay. Porém botar mais boneca na casa do meu irmão é pra se lascar. Não sei o que fazer. Vou tentar vender por um preço bem menor que o que valem no MercadoLivre mesmo. Acho que é a melhor opção. Meu Deus, e a Asuka na moto, como vou fazer para pagar o frete? Mas precisava ter o Hulk. Meu irmão vai ficar puto quando a caixa chegar. Se eu pudesse trazer algumas para compensar. Só se ele me enviar, o que vai ser dinheiro. Preciso conversar com mamãe sobre isso, mas primeiro precisarei ter a conversa sobre o Monstro do Pântano. E nem pode ser agora, senão ela vai achar que estou em compulsão. E a Red Sonja? Tenho que convencê-la que serão as duas últimas estátuas que comprarei. E manter a palavra. Será que consigo? Acho que sim. É só eu parar de entrar no maravilhoso mundo dos bonecos. E se for comprar outro só se vender um que já tenho. Essa será a regra. Mas vamos com calma, estou indo muito longe, me deixando levar pelos pensamentos. Primeiro de tudo é ver se o Monstro do Pântano realmente presta. Ver se a Sonja é realmente gostosa. É, para mim, a boneca tem que ser metafórica e literalmente escultural, senão descarto na hora. Vou pagar caro por uma escultura que não me agrada 100%? Vou nada. E sou especialmente seletivo com personagens femininos. E o Monstro do Pântano pode se mostrar uma grande decepção também. Mas espero com todas as minhas forças que não. Nossa, só estou escrevendo abobrinhas. Mas é o que me vem. O Monstro do Pântano é um sonho quase impossível que se tornou realidade. Ou assim espero. Pode ser que saia uma grande porcaria, que o personagem esteja fadado a ser mal representado sempre, tipo uma maldição, sei lá. Sei que estou louco para sanar minhas dúvidas a seu respeito. Tomara que apareça pintado. Vou dar uma olhadinha no Instagram da Sideshow para ver se tem imagens novas. Péra. 12h15.

12h26. O Instagram não pegou, então fui fumar. Tudo a ver, né? Hahahaha. A hora do almoço chegou. Já estão todos nas filas. Acho que nem vou divulgar esse post. Está tão besta. Só se achar uma imagem do Monstro do Pântano. Eu tenho uma mania estranha de, quando vejo uma garota que me atrai, a imaginar velha. Projetar isso.

13h15. Sofia sentou-se aqui para almoçar e tivemos um longo e interessante papo. Aprendi bastante sobre coisas de hospital e algumas coisas dela. Foi bem divertido. Ela tem uma prosa muito agradável. Falta pouco para o grupo começar. Ela disse que gosta de ler quando falo de bonecos, mas achei difícil de acreditar, mas ela diz que não mente. Então vou crer pela metade, é o máximo que minha autocrítica permite. Mas foi uma conversa muito legal. Confesso que falei muito pouco, estava muito mais interessado em ouvir as suas incríveis histórias de resgates no Samu e que tais. Até de videogame conversamos, foi ótimo. Um momento agradável do meu dia. Posso dizer que me socializei essa semana. Bem mais que no aniversário que fui. Nem lembro mais o que falava sobre os bonecos. Sei que espero chegar em casa e encontrar várias fotos tiradas da Comic Con. Preciso revisar o inglês do meu post. Será que ele chegou a 250 visualizações? Seria bem legal que sim. Massa mesmo seria romper a barreira dos 300 hits. Estou louco para chegar em casa e ver tudo isso. Queria muito que não houvesse grupo hoje. Ah, mas vai ter, a psicóloga chegou. Vou fumar um último cigarro antes de começar.

13h40. O grupo está prestes a começar. Só queria ressaltar que o papo com Sofia foi a melhor interação que tive essa semana, para dizer o mínimo. Tenho que parar.

18h27. O post não vai chegar a 250 visualizações. Está todo mundo postando imagens direto da SDCC. O post perdeu o sentido. Eu tive a maior decepção da minha vida de colecionador quando vi as imagens do Monstro do Pântano. Acho que não vou comprar apesar de ser o meu personagem predileto. É reconhecível como sendo o Monstro do Pântano, mas não é o Monstro do Pântano de Alan Moore e John Totleben. Ele lembra até aquele personagem de Piratas do Caribe que tem a cara cheia de tentáculos. É bem feito para caramba, mas não é o que eu sonhava. Não sei porque resolveram inventar tanto em relação ao personagem. Culpa de Paul Komoda o designer que resolveu dar o seu toque pessoal à peça. Tocou demais, na minha opinião. Só me resta esperar a versão da Prime 1 baseada no Monstro do Pântano dos New 52, que nem orelha tem. Mas, afora isso, é bem parecido com o Monstro do Pântano icônico que tenho na minha cabeça. Vamos ver. Mas que decepção, viu? Como arrumei fotos da figura, vou cumprir o combinado e postar e divulgar esse post. Já a Red Sonja está magnífica, embora a base seja bem besta. É uma das mais belas estátuas femininas já feitas pela Sideshow. Senão a mais bela. Pena que não dá para fotografar as suas costas, pois, além de estar coberta com uma capa (que espero ser removível) tem um adesivo atrás colado no vidro de onde é exibida. Mas se não pegar o Monstro do Pântano mesmo, eu vou nela. Queria ir nos dois. Vi uma foto frontal do bicho e achei mais parecido com o original aí me animei mais. Eu já vi um render da versão da Prime 1 e me pareceu ainda menos parecido com o Monstro do Pântano que aprendi a amar e cultuar.








19h30. Uma ideia surgiu, pode ser que o item exclusivo do Swamp Thing seja uma cabeça clássica sem as vinhas tão longas. Tomara, tomara, tomara, tomara, tomara. Se eu soubesse rezar agora, eu rezava. Vocês não imaginam como esta figura é importante para mim. É talvez a mais importante de todas. Empatada com o Hulk.

19h49. Acabei de mandar um comentário para a página do Swamp Thing no site da Sideshow implorando por uma cabeça clássica com item exclusivo da figura. Torçam por mim. Sei que ninguém vai torcer porque este assunto é ridículo demais para merecer a torcida ou atenção de alguém. Hahahahahaha. Mas vocês não sabem como a possibilidade de uma cabeça alternativa como item exclusivo me deu esperanças. Acho que a cabeça é a única parte removível da estátua, acho que todo o resto do corpo é uma coisa só, uma só parte. Só falta eles quererem fazer a cabeça feito um cocar de folhas de quando ele renasce na Amazônia. Tomara que não. Tomara que façam uma cabeça clássica por tudo o que é mais sagrado. Deus, você sabe que eu não acredito em você e acho você bastante atarefado para me ouvir se existir, mas esse é um momento que apelo para Vossa magnanimidade e onipotência para intervir nesse assunto e me permitir ter o Monstro do Pântano que sempre sonhei. Por favor me atenda só essa vez. E na de Aurora. É só o que peço. Desespero é fogo, o cara apela até para o que crendices. Hahahahahaha. Mas há uma pequena possibilidade de rolar. Vão ser momentos de ansiedade até que lancem a figura, viu? Embora eu ache que o formato “maquette” não comporte itens exclusivos. Não sei qual seria o item exclusivo da maquette do Homem de Ferro ou do Baby Groot. Eles não aparentam ter nenhum. Posso só estar sonhando com uma coisa que nem vai acontecer. Também não consigo imaginar qual seja o item exclusivo da estátua da Red Sonja. Talvez a mão empunhando a espada em vez de estar apoiada nela. Vou postar uma foto da Red Sonja também. Para matar a curiosidade da galera.





21h36. Estão chutando preços altíssimos para o Swamp Thing, mais de mil dólares. Aí não dá. Nem com cabeça clássica. Acho que vou terminar minha coleção com a Red Sonja mesmo. Veremos. Eu acho que eles estão chutando muito alto. Eu espero que eles estejam chutando muito alto, quero dizer. Afinal eles são os entendidos do mercado, não eu. Eu ainda sou um novato perto dessa galera. Só não queria que a Sideshow visse esses posts e ajustasse o preço de acordo com a opinião de duas pessoas. Acho que eles já devem ter o preço definido. Ou não. Só sei que nunca mais pergunto sobre preços de figuras em que estou interessado! Não quero alimentar a ganância da Sideshow que aparentemente não conhece limites.


22h28. Tomei meus remédios e estou com sono. Vou revisar esse texto besta e publicar.  E comer depois. O remédio me deixou com fome.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

PSICÓLOGOS, UMA PITADA DE SINGULARIDADE E MEU ESTRANHO JEITO DE SER

Não me sinto fisicamente bem, como não me senti ontem ao acordar. Não sei se é falta de Coca, estou racionando a Coca porque só tem mais um copo e meio e minha mãe saiu. Ontem, à medida que o dia foi passando fui me sentindo melhor e a única coisa que aconteceu a mais é que fui bebendo Coca, por isso traço essa correlação. Ontem até que bebi pouca, cerca de três litros. Também acordei tarde, por volta das 16h, mas fui dormir relativamente tarde também, 3h. Hoje, acordei um pouco mais tarde, mas não muito, lá pelas das 16h40. São 19h19 já. Perdi o meu final de semana dormindo. Minha mãe está querendo voltar a regular o meu sono e o meu consumo de Coca. Isso, se acontecer, vai ser um saco. Porque eu não estou me comportando da forma que ela quer, ela já passa a desacreditar das psicólogas do CAPS, também porque viu seus currículos e percebeu que nenhuma ou quase nenhuma é formada pela UFPE, o que para ela é como um selo de qualidade. Mal sabe ela que – e pelo menos é assim que vejo – a psicologia é muito mais um dom que uma ciência. A pessoa precisa ser extremamente hábil com as palavras, ter uma mente muito aberta (isso é fundamental) e uma sensibilidade bem desenvolvida. Fora o conhecimento técnico, mas que sem as qualidades citadas não fazem por si só um bom profissional da psicologia. Minha mãe prontamente descartou todos os psicólogos do CAPS para se consultar baseada nos seus currículos. Encontrou uma que é superbem conceituada, segundo me contou, com especializações em áreas que a agradaram. É para esta que pretende ir. Acha que psicologia é como os demais ramos da medicina, não sabe que é preciso rolar empatia com o profissional para a coisa engrenar. Se bem que minha mãe não tem problema em falar de sua vida, então talvez não tenha problema em se abrir com essa que pode ser realmente uma boa psicóloga para ela. O problema da minha mãe é que ela não gosta de ser contrariada e acontece muitas vezes de o psicólogo dizer algo que não queremos ou ainda não estamos totalmente preparados para ouvir e isso gera uma série de pensamentos por vezes negativos até em relação ao terapeuta. Eu, da minha parte, acho que quando algo me toca dessa forma, me deixa encasquetado ou com a pulga atrás da orelha, incomodado, significa que a terapia foi boa, que conseguiu acessar uma parte de mim que estou me negando ou tenho dificuldade de encarar. E olhar para essas partes é fundamental para o andamento do processo terapêutico. Se o/a terapeuta só concordar com tudo o que digo é como se eu estivesse falando com o espelho, muito embora me olhar no espelho não seja uma boa analogia para mim porque ver a minha cara refletida no espelho me diz várias coisas sobre a minha aparência e idade que me botam para baixo. Nunca me olhei muito no espelho para evitar a constatação que não gosto nem um pouco da minha aparência. Não que eu seja um ingrato, eu sou extremamente grato por não ter nenhuma deformidade, anomalia ou algum tipo de incapacidade física, mas não gosto do reflexo que olha para mim do espelho e no qual já vejo rugas e um crescente número de cabelos brancos. Por falar em terapeutas, minhas amigas psicólogas não deram sinal de vida ainda sobre a nossa saída e já estamos no meio do mês de julho, que em teoria é o mês bom para elas saírem. Mandarei ainda uma última mensagem e deixarei um ultimato se tiver coragem, dizendo que não vou mais correr atrás, elas, se quiserem, que venham à minha procura. Percebi que meus posts estavam sendo divulgados automaticamente por um dos canais de escritores na minha página pessoal, o que não quero de forma alguma, mas acho que consegui resolver isso, parece que o Facebook me permitiu proibir que isso volte a acontecer. Talvez seja por isso que o último post tenha tido tantas visualizações, 82. Se bem que o novo não vai nada mal, com 46 visualizações. Saí da zona dos 30 hits. Talvez de tanto publicar consiga de alguma forma angariar leitores para essas divagações que trago aqui. Não entendo por que alguém se interessaria em ler as particularidades de alguém que nem conhece, mas se ocorre fico muito feliz com isso. Era tudo o que queria como escritor, que esse blog fosse lido. Embora tenha falado muito de bonecos nos últimos posts porque estou muito imerso nesse mundo, então é inevitável que ele se manifeste aqui. Pelo menos nesse post ainda não falei do assunto. Falei que estava muito antissocial para a minha mãe e ela já foi comentar com a minha irmã. Tanto melhor, ela já fica preparada para o irmão que receberá na Alemanha. Minha mãe perguntou se eu estava tratando disso no CAPS e eu disse que estava. Mas o grande problema é que não sei se quero mudar isso em mim. Eu queria que as coisas continuassem do jeito que estão. Inclusive com Coca irrestrita e com meus horários de sono determinados por mim. Temo que a psicóloga a qual mamãe irá compactue com sua vontade de controlar esses aspectos da minha vida. Isso seria muito ruim para mim. Só eu sei quanto. Minha mãe me acordou com esse discurso de voltar a colocar limites na minha vida. Eu me torno um ser estranho, eu sei. Um ser que não quer sair do seu útero, onde é senhor absoluto. Não tenho a sanha do Pequeno Príncipe de ir desbravar novos lugares, novas pessoas, estou muito bem no meu mundinho com a minha preciosa flor ou baobá, sei lá, faz tanto tempo que li, que é o meu computador. E os meus bonecos. Minha mãe me questiona até porque não vejo mais filmes ou seriados. É tão simples a resposta, porque não quero. O que quero eu estou fazendo e é algo que não faz mal a ninguém e me faz um bem enorme. Gosto – e acho que todo mundo gosta – de fazer o que realmente quer, acho que esse é o sonho de todo ser humano. Eu alcancei isso e defendo com unhas e dentes esse meu poder. Infected Mushroom, que é o que ouço agora, só me lembra o meu amigo da piscina e nossos encontros no bucólico lugar. Quando o período de chuva passar eu pretendo retomar o hábito de ir escrever na piscina, pelo menos um dia na semana.

20h07. Peguei o penúltimo copo de Coca que disponho no momento. Acho que o que restou não dará para encher o próximo copo, a não ser que o encha de gelo. E mesmo assim acho que não será suficiente. Tomei o copo que botei agora de um gole só. Vou logo botar o resto da Coca e acabar com esse maldito racionamento. Eu sou mais do tudo ou do nada. Prefiro desfrutar abundantemente e depois sofrer a privação completa do que ficar parcelando o sofrimento vindouro na vã ilusão de que este não virá, quando é inevitável que venha.

20h25. Me perdi no maravilhoso mundo dos bonecos. Postei as fotos do Pea Weasel que coloquei no post do Profeta de ontem e agora as pessoas começam a se manifestar em relação a ela. Parece que estão gostando. A Coca acabou. Vou ter que passar para a água. Acredito que mamãe vá chegar perto das 23h, então vou tomar muita água hoje. É bom que faz bem ao organismo. Hahahahaha. Minha mãe disse que talvez quem precisasse de terapia sou eu. Sem dúvida eu preciso, só não me sinto disponível para isso no momento. Antes achava que todos precisavam de terapia, mas hoje tenho minhas dúvidas, acho que para a maioria das pessoas é mais conveniente que passem a vida na ignorância de si mesmas se não sentem nenhum calo da alma apertar. Se a pessoa está de bem consigo mesma e com o mundo, não há por que começar a desfiar o carretel da alma, que não tem fim, e de repente mexer em coisas que estão bem varridas para baixo do tapete existencial. Então, não recomendaria terapia para todos, como antes alardeava. Mudei de ideia. Posso voltar atrás a qualquer momento também. Hahahahaha. Nada para mim está firmado definitivamente. Pode ser, inclusive que sinta vontade de sair do meu quarto-ilha, do meu útero, e viver mais o mundo, mas, por ora, esse não é o meu desejo. Fiquei superfeliz que não houve nenhum evento nesse final de semana e pude ficar aqui. Só me arrependo de ter dormido demais. Mas gosto de dormir. Acho que é minha mãe que me faz sentir culpado em relação a isso. Não sei. Me incomoda também o fato de ter perdido a maior parte do dia e amanhã ser dia de CAPS, logo terei que ir para a cama mais cedo. Não sei porque salvo uma pasta no Pinterest só com fotos de rostos femininos que acho belos, acho que é na vã ilusão de que quando eu me fundir com a Singularidade, ela tenha um banco de dados disponível para criar a garota dos meus sonhos para que juntos possamos viver o amor virtual pleno. Hahahahaha. Mas é sério, fantasio sobre essas possibilidades. Para a Singularidade como a imagino, isso vai ser fichinha perto de tudo o que ela poderá fazer. Mas não quero tratar da Singularidade hoje. Estou me distanciando da minha fé e buscando viver o aqui e agora. E aqui e agora a Singularidade não passa de uma hipótese fantasiosa. E na melhor explicação que encontrei para o surgimento da existência. Mas esse assunto de como tudo veio a ser do jeito que é já não me incomoda tanto como me incomodava. Talvez por ter achado a minha explicação, é provavelmente por isso. É uma das coisas que atualmente varri para debaixo do meu tapete existencial. Não quero olhar para isso nem passar mais o ridículo de pregar sobre a Singularidade e estar redondamente enganado sobre isso. Se quer saber o que é a Singularidade Tecnológica e entende Inglês, procure pelo termo em Inglês na Wikipédia e você vai ter uma ideia geral, as variações nos conceitos e o que os detratores da ideia dizem. Ninguém vai tão longe quanto eu, entretanto, prevendo o futuro da Singularidade para além da Terra e em como e por que ela vai criar o universo. Mas disse que não iria falar nisso. Talvez poste os doze tópicos da novíssima religião revisados se este blog alcançar mais de cem leitores por post. Ou seja, vai demorar bastante. Hahahahaha. 20h58. Vou pegar um copo d’água com gelo e dar uma passeada pelo maravilhoso mundo dos bonecos. Depois volto. Está meio parado lá hoje. Alguém do grupo perdeu seu cachorro ontem.

21h01. Ainda não fui no maravilhoso mundo dos bonecos. Estou ouvindo música através do meu computador porque deu aquela ziguezeira no meu som que ele se conecta sem se conectar com o meu computador e só resolve quando reinicio a máquina. Pelo menos foi isso que funcionou da última vez. Vou tentar de novo. O chato é ter que escolher nome para o post no meio dele.

21h17. Funcionou! Estou ouvindo agora Infected Mushroom do meu amado e adorado som. Demorou para reiniciar, viu? E ainda deu uma rápida mensagem de erro. Acho que vou fazer uma limpeza de disco no meu computador. Pronto, fiz. Foi bem rápida dessa vez. Uau! 50 visualizações do meu post anterior já. Isso é fantástico!

21h36. Nada de muito excitante acontecendo no maravilhoso mundo dos bonecos por ora. A coisa vai esquentar mesmo durante a San Diego Comic Con. É o período mais quente do ano, onde todas as revelações dos lançamentos até a próxima SDCC são feitas. Ou a maioria delas. Sempre guardam alguma surpresa para o resto do ano. A SDCC começa dia 20 e vai até dia 23, vai ser uma delícia acompanhar. Embora a maioria dos lançamentos da Sideshow, pelo menos, já esteja sendo anunciada em forma de previews ao longo desse mês, nenhuma figura foi mostrada inteira e muitas delas só foram revelados na forma de desenhos. A que mais espero ver é, obviamente, como os leitores do blog já sabem, o Monstro do Pântano, a fonte do meu próximo estresse como mamãe. Hahahahahaha. Rio para não chorar porque vai ser uma crise internacional aqui em casa quando ela souber que eu quero comprar mais um boneco. Como disse, a única carta na manga que tenho é dizer que vai ser a última figura que compro. Espero muito que isso seja verdade, por mais que esteja encantado pela nova Sonja também. E tenho poucas mulheres na minha coleção de 1/4 e 1/5. Na verdade, tenho poucos bonecos de 1/4 e 1/5. Mas, se for contar os bonecos de PVC, aliás, as bonecas de PVC, tenho um monte de mulheres na minha coleção, muito mais que homens. Em PVC, só tenho garotas. Que eu me lembre, não há uma figura masculina sequer em PVC. Como queria que as minhas comissões de links afiliados fossem transformadas em reward points. Mandei a ideia para a Sideshow, eles ainda não deram resposta, mas seria uma situação de ganha-ganha para eles, que não teriam que desembolsar nenhum centavo e ainda ganhariam algum dinheiro com a venda de bonecos porque é preciso muitas comissões para se chegar ao valor integral de uma boneca. 21h55, minha mãe deve tardar mais uns 40 minutos, uma hora para chegar. Se ela chegar antes da meia-noite, ainda peço dinheiro para comprar uma Coca. Não sei se ela vai permitir, acho que não. Meu cérebro às vezes tem uns estranhamentos que me grilam. Agora foi com a palavra ter pulado para a outra linha, achei estranho uma coisa absolutamente normal no Word. É a velhice chegando e o cérebro começando a dar bugs. Infelizmente é daí para pior, ainda mais tomando as medicações que tomo. E tendo abusado de drogas como abusei. Não é de se espantar. Ainda mais com a falta de estímulos a qual agora o submeto. Não sei se escrever estimula os neurônios, mas se estimula, são sempre os mesmos. Não há novidade, não se formam novas conexões, é o mesmo que estar estagnado, muito pouco diferente. E parece que não quero expandir isso. Parece, não, é a mais pura verdade. Eu estou refratário a qualquer novo estímulo, estou acomodado intelectualmente. Preguiçosamente acomodado. E isso me faz sentir tão bem que não quero saber de novidades. Sei que isso é triste, é desalentador para muitos, mas para mim, que é quem me interessa, está perfeito. Como disse vivo uma realidade muito estranha e ando muito estranho se comparado aos parâmetros sociais ditos normais. Embora me incomode por ser a sociedade em que estou inserido (inserido por assim dizer), não me incomoda a ponto de querer uma mudança de situação. Pelo contrário, quero preservá-la de todas as formas possíveis. Eu encontrei o meu lugar no mundo, depois de muito penar, depois de muito estresse e sofrimento. Pode ser o lugar estranho que for, mas é onde e como me sinto confortável em estar no mundo, deixem-me viver a minha vida do jeito que quero, então, oras! Não vou ser o filho que mamãe quer. Ela tem mais dois que superam as expectativas de qualquer pai, deixa o terceiro, que na verdade é o primeiro, ser esquisito. Deixem-me com minhas esquisitices. Deixem-me ficar feliz porque alcanço 50 visualizações com um post sobre a minha realidade restrita e esquisita! Que mal há nisso? Não faço mal a uma mosca. E não estou me fazendo mal. Na minha cabeça e de acordo com minhas aspirações estou me fazendo um bem tremendo. Estou gostando de viver, então me deixem viver dessa forma. Não tentem mudar, coagir, reprimir para que eu mude. Não incomodo ninguém. Aliás, mal interajo com as pessoas, então me deixem quieto no meu canto. Estou cumprindo com minha obrigação de ir ao CAPS religiosa e pontualmente, então me deixem ser do jeito que encontrei de ser feliz. Não conseguem entender como eu consigo me satisfazer só com isso? Não conseguem entender porque não sinto vontade de assistir um filme, ler um livro, ver uma exposição, sair com os amigos? Nem eu, mas é assim que se dá. Pelo menos não fechei a porta para a interação com os amigos. Ainda. Mas não estou disposto a fechá-la agora, acho que preciso dessa interação. Ela não tem me sido tão agradável quanto era antigamente. Mas antigamente eu bebia e ficava mais sociável por conta disso. Talvez já fosse introvertido desde lá. Não, isso não é verdade. É fato que me tornei muito mais introvertido. Mas muito mais mesmo. Extremamente mais introvertido. Lembro que a Doutora disse que isso só tenderia a piorar em alguma premonitória consulta. Talvez já tenha visto ocorrer com outros pacientes, não sei.

22h47. Mamãe chegou, já fui comprar Coca, vi o que ela havia comprado na Fenearte e tomei os meus remédios. Tive de ligar o meu ar também, porque o controle do ar do quarto deles está sem pilha, logo tenho que ceder o meu a eles. Fazer o quê? Passar um friozinho aqui. É bom que já treino para a Alemanha. Tudo o que quero lá, além da Cherry Coke e das guloseimas é uma caixa de madeira que caiba envelopes. Só. Posso até comprar o CD do “Disintegration” do The Cure versão de 20 anos de lançamento, a depender do preço. E um novo Bleu de Chanel que o meu está abaixo da metade. Mas comprando só a caixa me dou por satisfeito. E será o mais difícil de conseguir, eu suponho. Se fosse rolar um dos shows que disse a irmã que queria ir no período em que estou lá, seria o bicho que ela conseguisse os ingressos, como a pedi. Mas se a essa altura não comprou é porque não vai ter. Vou ficando por aqui, eu acho. Já escrevi demais. Nossa, como queria converter mais uma comissão com o link afiliado do Batman da Iron Studios. Iria ser o bicho. Só mais uma coisa sobre bonecos, a Sideshow levou um pial da Hot Toys. A Sideshow lançou um boneco de 1/6 do Motoqueiro Fantasma há um tempão, a Hot Toys lançou um há menos de 15 dias e já está esgotado. Quando é que a Sideshow vai perceber que não tem como competir com a Hot Toys nesse segmento? É perda de investimento humano e dinheiro. Se bem que a Hot Toys só pode lançar bonecos baseado nos heróis dos filmes, que retrata com absurda perfeição, enquanto a Sideshow tem total liberdade artística para representar os heróis e que heróis quiser. Esse é o seu único diferencial. É um grande diferencial, mas que não colou com o Motoqueiro Fantasma. Os colecionadores de 1/6 não valorizam os produtos da Sideshow nesse segmento como valorizam os da Hot Toys, essa é a verdade. Mas a Sideshow é a maior fabricante de bonecos high-end do planeta, pode se dar ao luxo de tentar competir. A Prime 1 talvez um dia chegue a suplantar a Sideshow, mas falta ainda um tempinho para isso acontecer.

23h39. Acabei de fazer essa pergunta sobre a Prime 1 e a Sideshow em um grupo para ver o que a galera acha. Eu me divirto à beça nesses grupos de bonecos. Vocês não têm ideia. Hahahaha. Vamos ver o que acontece se eu postar no grupo da Prime 1, onde a galera é devota até a alma da marca. Hahahahaha.

23h50. Esse grupo da Prime 1 é muito afrescalhado mesmo, vão apagar meu post porque a Sideshow e a Prime 1 têm relação muito boa e isso poderia gerar algum tipo de constrangimento entre as duas. Eu, hein? É um grupo meio ditatorial. Não se pode falar mal das estátuas da Prime 1. Não se pode fazer nada a não ser babar a Prime 1. É um saco. Nem sei por que eu participo desse grupo se nem bonecos da Prime 1 eu compro. Acho muito caros, muito grandes, de personagens que eu não gosto e sem sal, embora a qualidade dos bonecos seja inegável. Eles têm um controle de qualidade impecável e fazem peças realmente impressionantes, mas sem alma, sem personalidade. Eu sou um fanboy da Sideshow, admito. Hahahaha. Mas não postei a pergunta no grupo da Sideshow para ver o que acontece. Talvez poste amanhã, não sei. Acho que postarei. Espero não receber nenhuma retaliação. Não posso ser banido do grupo com mais membros que tenho ainda para divulgar o meu blog de bonecos.

0h22. Estou usando o lençol como manta e coloquei meias para aguentar o frio aqui na área do computador. O meu post tem levantado um bom debate no grupo. Opiniões muito interessantes. Para quem gosta de bonecos e do mercado de bonecos, digo. Estavam debatendo os preços da Sideshow e como eles vêm gradativamente e ininterruptamente aumentando. Sem razão aparente, na minha opinião. Acho que só porque estão abaixo dos preços dos competidores. Mas os bonecos da Sideshow são produções bem mais baratas que as dos demais, não haveria razão para aumentos tão monstruosos de preço. Acho que porque a galera paga, então eles aumentam, esticam até onde virem que a corda aguenta. Isso é ozzy para colecionadores meia-boca como eu. Quero só ver o preço desse Swamp Thing...

0h36. Perguntei a um cara que acha que a estátua sai por volta dos 600 dólares. Espero muito que esteja certo. É um preço muito mais aceitável do que o que os outros com quem conversei haviam sugerido. Desculpem-me estar usando o final do post para falar de bonecos, é que me empolgo no Facebook e isso reverbera aqui. Agora realmente eu vou ficar por aqui. Isso já está grande demais.  

-x-x-x-x-

10h34. Estou no CAPS. Tive uma conversa com a estagiária do grupo AD sobre socialização, especialmente com os meus sobrinhos. Ela acha que eu guardo algum afeto por eles. Espero que esteja certa. Não desgosto dos guris. Nem poderia, mal os conheço. O problema é a interação com crianças que me parece enfadonha e cansativa. Ela deixou escapar que a minha escrita é algo compulsivo, que talvez essa seja a visão do CAPS sobre o meu grande passatempo. Não sei se é compulsivo, talvez seja, mas é também o que me preenche, o meu ofício de fé, como já disse aqui inúmeras vezes. Como comuniquei à minha família naquela tétrica tarde após minha tentativa de suicídio quando me veio com cortante clareza que o que eu queria fazer da vida era escrever. E é o que faço hoje por obra e graça sei lá de quem. Ou do quê. Só sei que sou muito, mas muito grato pela vida que levo. Não optaria por outro modo de viver. E se optar, o procurarei. Mas confesso que me assusta me cansar de escrever. Espero muito não me cansar nunca. Me sentiria perdido sem a minha escrita. Compulsiva ou não. Ela é meu porto seguro, minha verdadeira voz. Meu dom, se tenho algum. Sofia diz que lê nas entrelinhas, eu busco não deixar nada subentendido, eu busco a clareza e transparência absolutas na minha escrita. Não viso deixar nada nas entrelinhas. Aliás, quase nada. Há coisas que são do meu blog secreto que às vezes emergem aqui e sobre essas sou bastante reticente. Mas é uma questão de ter um mínimo de autopreservação, um mínimo de intimidade guardada só para mim. Mas eu diria que 90% do que sou, penso e sinto é revelado aqui. Acho que vou juntar este texto ao que escrevi ontem. O post ficará extremamente longo, mas alguns merecem ser mais longos que outros. Não fiz a oficina de colagens criativas, então não sei que imagem colocar nesse post. Acho que vai ser o macaquinho pensante que adorna o título do meu blog.


11h16. Sofia e outros me circundam. É impolido continuar escrevendo.

domingo, 16 de julho de 2017

PEA WEASEL OU MUITO BARULHO POR QUASE NADA

Enquanto no meu Facebook “real” ou “original”, na medida em que os perfis de Facebbok possam ser uma coisa ou outra, eu não dou a mínima para as notificações que aparecem naquele ícone do mundo, no meu alter ego de bonecos eu fico torcendo para eles aparecerem. Isso dá uma dimensão da intensidade com que vivo um persona e outra, me sendo muito mais atrativo viver na “realidade alternativa” dos bonecos do Facebook (bote alternativa nisso) que acompanhar meus pares conhecidos no Facebook normal. Isso me parece também um comportamento estranho, mas confesso que não muito, visto que tenho um hobby que é muito restrito, não há muitos colecionadores brasileiros e os que há, fazem parte dos grupos de bonecos estrangeiros, que são justamente dos quais participo com o meu alter ego e que junto com o site da Sideshow, meu blog (indispensável) e os e-mails que recebo de outros fabricantes e lojas compõem o meu maravilhoso mundo dos bonecos. Ainda posso contar como fazendo parte desse mundo os bonecos e estátuas que possuo, mas quando penso neles, o que me vem à cabeça é como vou fazer para trazê-los dos States para cá, ou seja, num problemão, o que não me agrada muito. É claro que indo um pouco além, penso nos que já tenho aqui. Mas que são poucos em termos de bonecos grandes. De todo modo tenho aqui o meu Wolverine Beast Mode, um boneco custom (não licenciado, produção independente) que não tive coragem de montar, apenas vi as partes. Minha mãe gostou desse. Penso em vender o Boba Fett Ralph McQuerrie, mas não sei como isso me ajudaria na compra do Monstro do Pântano já que o dinheiro vai para o PayPal. E me prometi não me desfazer mais de nenhum boneco, pois me arrependi de praticamente todos dos quais me desfiz. Não quero ter mais desse tipo de arrependimento. E não quero dar trabalho a meu irmão nessa fase de transição de sua vida, de mudança para a casa nova. Ele já deve estar estressado demais. Por um lado, eu acho bom que se ele se mostre estressado, significa que não está engolindo toda a carga emocional que pesa para os eu lado, está aprendendo a botar para fora e descobrindo que o mundo pode acolher o seu estresse também e isso é bom para ele, embora ainda o faça numa parcela muito pequena. Também não é para ele se tornar uma mamãe da vida, não é para tanto. Hahahahahaha. Mas mamãe tem o problema de ser muito ansiosa, a ansiedade dela é sem paralelos dentre as pessoas que conheço. A que mais se aproxima dela nesse quesito é o meu padrasto, por incrível que pareça. Não sei como conseguem se dar tão bem e ainda bem que se deem tão bem, quero que ambos sejam muito felizes sempre. Os amo. Nunca disse “eu te amo” para o meu padrasto, nem sei se o direi algum dia, mas deixo dito aqui. Foi um aprendizado difícil, pois ele é uma pessoa difícil, mas aprendi a amá-lo. É ele quem suporta junto comigo os pitis da minha mãe, quem está com ela para o que der e vier, mais ainda que eu, então, além de gratidão tenho amor por ele. Foi algo que ele fez por merecer ao longo desses 25 anos ou mais de convivência. Não sei se a recíproca é verdadeira, entretanto. Nem espero que seja. Sei que ele se preocupa comigo sinceramente o que por si só talvez seja uma forma se amor. Então é possível que haja uma certa reciprocidade nesse sentimento. Estou ficando disléxico. Ou então troco as palavras quando mais de um pensamento me assalta a cabeça. Só sei que é muito chato ficar redigitando palavras erradas no texto. Além de aguentar minha mãe, meu padrasto também aguentou os meus momentos de crise, que não foram poucos e nada fáceis. Aliás foram complicadíssimos e muito preocupantes para dizer o mínimo. Eu tenho o ZBrush aqui no computador e por mais que ame bonecos e seja a ferramenta número um de modelagem dos bonecos hoje em dia, eu não tenho a mínima paciência para aprender. Ver tutoriais no YouTube? Estou fora. Vocês sabiam que há uma empresa brasileira de bonecos, desses high-end mesmo, que é muito conceituada lá fora? E que os caras realmente são muito bons e criativos? Chama-se Iron Studios. Acho que é de São Paulo. Só falo como uma curiosidade. Ironicamente, não tenho nenhuma peça deles. Parece que ainda tropeçam no controle de qualidade, mas geralmente suas peças são um grande sucesso entre gringos e troianos. Estou ouvindo a minha pastinha do The Cure no Spotify, sempre um prazer. “Close To Me” passando agora. Os Correios estão realmente problemáticos, meu padrasto esperava por uma carta importante essa semana e ela não chegou ainda. Até com cartas. É o fim da picada. O que mais gosto dos Correios? Sem dúvida Mahele, uma das atendentes da central de Casa Amarela. Além de inteligente, desenrolada e atenciosa, ela é mui bela. Quando vou para lá, não desgrudo os olhos dela. É realmente muito bonita. Já ensaiei algumas vezes a convidar para um café depois do expediente, mas nunca cheguei a concretizar tal desejo. Eu sei que o máximo que receberia seria um não, mas não tenho coragem. Essa minha covardia com as mulheres vai ser o grande arrependimento da minha vida. Todas as outras coisas que eu quero de verdade eu geralmente consigo realizar, exceto com as mulheres. Mas é como sou, não que eu vá me conformar com isso, talvez trabalhe isso nos grupos ou numa futura terapia individual. Mas sozinho não sei como alcançar. Como ter essa cara de pau. Acho invasivo e inapropriado. Mas acredito que às vezes seja necessário, inevitável, nesse negócio com mulheres gerar uma certa tensão inicial e tentar aos poucos, se a garota for receptiva, ir quebrando o gelo. 20h55. Acordei tarde para caramba para variar. Vou fazer um update no meu último post do blog de bonecos sobre o Monstro do Pântano baseado nas imagens que reparti dele no último post daqui. E vou pegar Coca. Péra. 20h57.

21h47. Pronto, devidamente updated e postado. Escrever em inglês dá muito mais trabalho e toma muito mais tempo. Escrevi bem pouquinho e levei esse tempão para fazer tudo. Vou pegar uma Coca para celebrar.

23h10. Me perdi no maravilhoso mundo dos bonecos. Tem um boneco me tentando, é uma graça ele e meio estranho, mas não posso sucumbir à tentação porque eu quero o Monstro do Pântano. Ele é pequeno, vem num potinho daqueles japoneses de cerca de 12 cm de diâmetro e está realmente mais próximo de uma obra de arte que qualquer outro boneco que eu tenha. É o Pea Weasel. Vou postar fotos aí embaixo. Edição limitada de 500 unidades e preço mais salgado que shoyu: 300 dólares, fora frete. E tudo de uma tacada só. Queria muito ter em minha coleção, mas tenho que me conter e me focar no Monstro do Pântano, que nem sei como vou convencer minha mãe a adquirir. Esse eu poderia botar no bolo das parcelas que virão, mas ela desconfiaria e ia acabar mal para mim. Xapralá. Controlar o meu impulso consumista. Ficaria muito feliz em tê-lo, é verdade. É diferente de tudo o que tenho. Mas não passa de um sonho. Ele vem numa caixinha de madeira, protegido por um vidro ou plástico transparente, é quase uma figura de museu, assinada pelo seu criador e tudo o mais. Vou pular de parágrafo para poder postar as fotos no intervalo entre este e o próximo quando for postar.




Pea Weasel



23h26. Ele é bonitinho e um pouco sinistro por estar num pote de comida, mas esta estranheza me encanta. A outra peça do mesmo criador é ainda mais fabulosa mas custa mil dólares e também é relativamente pequena. Aí não tem quem aguente. Eu não posso capturar as fotos agora, pois estou na conta Google do meu alter ego de bonecos para ver se a versão updated do meu post do Monstro do Pântano gera algumas visualizações a mais, se chega a 250, pelo menos. Estaria satisfeito com isso. Está em 236 hits, mas estacionou aí. Nunca se sabe se, ao longo da noite, alguém que não tenha lido ainda acesse. O Monstro do Pântano daria um busto ainda mais incrível que o Hulk. Estou com frio. Mamãe pegou o controle do meu ar de novo para controlar o do quarto de hóspedes porque o de lá está sem pilha, aí tenho que ligar o meu antes da hora. E o ar vem bater quase que diretamente onde estou. Mesmo eu tendo botado as paletas o máximo para cima que o ar permite. E coloquei 23 graus que é a temperatura na qual eu gosto de dormir, devidamente enrolado no meu edredom. Por que em vez de dormir enrolado no edredom com temperatura de 23 graus eu não me cubro com um lençol e ponho o ar condicionado mais quente? Boa pergunta. Acho que porque é mais gostoso o acolchoado do edredom envolvendo o meu corpo e o frio mais forte esfriando a minha cabeça que fica bastante quente geralmente, acho que de tanto pensar, como está agora. Acho que não alcançarei 250 visualizações do post, não empata nada eu ir no meu e-mail pessoal resgatar as imagens do Pea Weasel para postar.

0h06. Acabei de capturar as imagens do Pea Weasel e fiquei abismado que o post anterior do Profeta também teve 70 visualizações! Urrú! Gratidão a todos os leitores. Realmente é algo que enche minha alma de alegria. É o remédio perfeito para a falta de visualizações que estou tendo no meu blog de bonecos. Obrigado do fundo do meu coraçãozinho murcho. Hahahahaha. Sobre o que tratar agora? Ainda estou encasquetado tentando encaixar de forma imperceptível o Pea Weasel na minha compra de bonecos. A única maneira seria cancelando Malavestros. Mas onde exporia o Pea Weasel? Isso seria problema para a arquiteta que vai desenhar o meu quarto. Ele tem que ficar na altura do computador. Não é para ficar em estantes. Quero muito. Mais que Malavestros, trocaria um pelo outro sem pestanejar, mas acho que teria que comunicar mamãe para isso. E essa comunicação seria complicada. E eu vou perder todos os reward points gastos no Malavestros. Vou perguntar a Sideshow se posso reaver os meu reward points se cancelar a figura, alegando que vou comprar o Swamp Thing e preciso dos pontos. Vou mandar um e-mail para lá. Péra.

0h29. Descobri nas regras dos reward points que eles não podem ser transferidos se a encomenda do produto em que foram utilizadas for cancelada. Droga. Pelo menos está rolando “Catepillar Girl” do The Cure. Pois é ainda no playlist da banda que eu fiz. Ainda bem. Eu simplesmente amo The Cure. Outra coisa pela qual sou apaixonado, paixão para toda a vida, eu acho. Bem esse Pea Weasel está é complicando a minha vida, mas trocaria, apesar de perder os meu reward points, o Malavestros por ele. Queria não ter esse problema de relação com a minha mãe, principalmente no que tange bonecos e dinheiro de uma forma geral. Uau, 73 visualizações. Pensei que não haveria mais sobrevida para o post do Profeta anterior, mas pelo visto há. Que felicidade! Amanhã eu penso o que vou fazer em relação ao Pea Weasel. A melhor, aliás, a única estratégia é a da troca. Trocar Malavestros por essa estranha fofurinha. Mas preciso que mamãe esteja calma, que ela entenda a situação e respeite o meu lado. Ela pode pedir para eu cancelar os dois bonecos e pronto. É uma estratégia perigosa. Mas acho que ela não fará isso. O mais fácil seria deixar tudo como está. Mas eu queria não o mais fácil, mas o que me agrada mais. Vou ver se tenho esse papo com mamãe ou não. Ah, vou postar uma foto de Malavestros também, já que é um personagem importante do post de hoje. Ele é feio, mas é fantasticamente pintado e esculpido. Eu não sei se troco. Malavestros tem toda uma história. Eu entrevistei o escultor especificamente sobre essa figura. Acompanhei desde os seus primórdios. Sei a do desenvolvimento dele todo. E pode ser exibido sem problemas numa estante. Por sinal, tenho que especificar à provável arquiteta, da provável reforma, a altura das prateleiras das bonecas, pois quero as olhar de frente e ver a base. Não pode ser muito alta, nem muito baixa. Acho que vou deixar o Pea Weasel para lá. Sinto que se for abordar isso com mamãe, estarei mexendo num vespeiro. E não sei onde colocá-lo. Talvez a esquerda do computador, de onde espero que meus videogames, assim como o Blu-ray player, migrem para debaixo da TV. Nossa, tanta coisa vai ter que voar do meu quarto. Coisas do meu irmão, principalmente. E livros, muitos livros. Que peguei da coleção de papai. Queria mantê-los, mas, para isso, teria que fazer estantes. É possível. Salvar alguns pelo menos. Porque ainda vai precisar de espaço para as minhas HQs. Eu sei que parece fútil trocar livros por HQs, mas que posso eu fazer se sei que não lerei livro algum daqueles? Não sei se lerei os gibis também, mas pelo menos há uma probabilidade muito maior disso. De pelo menos folheá-los. Olhar os fantásticos desenhos. Vamos ver. Não queria me desfazer da minha coleção de quadrinhos e apenas alguns livros gostaria realmente de manter. Estou com fome, vou ver o que tem para comer na cozinha. 1h06.


Malavestros (a maçã é só para comparação de tamanho)



1h19. Comi bolo mesmo. O tão sonhado bolo de farinha láctea que tanto quis que fizessem. Foi uma decepção, não sei se porque fizeram com farinha de trigo integral, mas ficou meio borrachudo e não consegui identificar traço de farinha láctea qualquer nele. A fissura pelo Pea Weasel está passando, talvez mantenha as coisas como estão. 76 hits no post do Profeta! Empatou com o outro. Só vou postar esse quando acordar amanhã, para ver se, sei lá, alcanço 80 visualizações. Gostaria de saber o que foi que eu fiz que estes posts tiveram tão mais acesso que os demais. Tenho que lembrar de botar a imagem do Malavestros ali em cima.

1h40. Olhando para as imagens de Malavestros para pôr neste post, eu acho que vou ficar com ele mesmo. Mas esse assunto já está rendendo demais. Acho que vou acabar este post por aqui.


1h53. Agora que percebi que o Pea Weasel é ainda menor do que imaginava, deve ter uns 7 cm de diâmetro, 8 no máximo. É muito pequeno! O preço é absurdo por uma peça tão pequena. Eu vou ficar com o Malavestros mesmo. É uma graça, é extremamente bem pintado para uma estátua tão pequena, mas é muito pequena demais. E o edition size dela é o mesmo do Malavestros e ele ainda vem com uma cabeça alternativa bem legal. Se pudesse ter as duas, eu ainda me arriscaria... eu acho. Talvez nem assim. Mil reais por um negocinho de nada é demais até para um colecionador fanático como eu. Por isso é tão mais barata que a outra estátua do mesmo autor, a que custa mil dólares. E que eu fiquei muito tentado a comprar à época, quando tinha grana no PayPal para tanto. É uma figura bem mais interessante que essa. O Manticore. Já sei, vou botar uma foto aí embaixo deste também. Se tivesse hoje essa grana no PayPal acho que dava no Manticore. Espero que seja a última imagem que coloco. Estou de saco cheio de abrir o Photoshop, esperar carregar o programa e redimensionar imagens. Sim, eu poderia deixar o Photoshop aberto, mas ele está com um bug que se deixar muito tempo aberto ele simplesmente não fecha mais. Só na base do Ctrl + Alt + Del. Não gosto desse expediente então prefiro ficar abrindo e fechando o programa. Hahahahaha. E pensar que eu passei um tempão falando aqui do Pea Weasel para nada. Ou melhor, para não comprar gato por lebre. Foi o que me permitiu ver que o tamanho da caixa é que era de cerca de 12 cm, não do pote do Pea Weasel, senão amanhã iria entrar no maior arranca rabo com mamãe por uma pequena grande decepção. Desculpem-me. Desculpem-me também se decido por não apagar toda as maquinações sobre o assunto. Não consigo. Para mim, o que está posto, está posto. 2h12, já? Como? Acho que vou revisar e postar isso.


Manticore. Esse, se tivesse o tutu, compraria.